A pergunta bastante comum em comunidades de desenvolvimento de software é: Devo fazer uma faculdade de computação? E depois, vale a pena fazer um mestrado? O que eu ganho com tudo isso?

Eu, com certeza, sou uma pessoa bastante enviesada para falar sobre o assunto, mas tentarei ao máximo mostrar os prós e contras de ambas as escolhas.

Eu acredito que uma pessoa possa se tornar um excelente desenvolvedor, sem ter frequentado uma faculdade. Afinal, bom conteúdo é o que não falta por aí. Sem dúvida, conheço muitas pessoas que dominam Java, C#, PHP, Javascript, e etc e não fizeram faculdade. Auto-didatas!

Mas quais as vantagens de uma faculdade?

  • Estudar sobre temas que (dificilmente) você não estudaria por conta própria. Quantas pessoas você conhece que, por conta própria, abriu um livro de grafos, de compiladores, de arquitetura de computadores, ou de análise de algoritmos, e o estudou a fundo? E sem dúvida, todos esses tópicos podem fazer a diferença. Já vi muitos desenvolvedores gastando neurônios para resolver um problema que foi estudado em alguma dessas matérias menos populares dos cursos de computação.
  • Aprende a escrever melhor. Na faculdade você é obrigado a escrever muitos trabalhos, artigos, e etc. Isso faz você praticar a escrita de textos mais formais.
  • Trabalhar em grupo e a lidar com prazos e cobranças frequentes.
  • Networking.

O mestrado é o próximo passo. Todos pensam que um mestrado serve apenas para aqueles que “querem ser professor”. A pessoa que opta por um mestrado é, na verdade, uma pessoa interessada por ciência. Ela quer estudar e entender um fenômeno em particular de maneira neutra, não enviesada.

Quais são as vantagens?

  • Aprender a fazer ciência de verdade. O pensamento científico te ajuda a separar fatos de folclores, e isso é particularmente importante em nossa área, onde temos diversos “mitos” que pairam sobre as equipes.
  • Você será o especialista de um tópico em específico. Isso sem dúvidas pode abrir muitas portas pra você, tanto na academia, quanto na indústria.
  • Terá a oportunidade de viajar e conhecer pesquisadores de verdade. Pesquisadores que provavelmente programam pior que você, mas que tem uma visão muito abrangente sobre o assunto.

E as desvantagens?

  • MUITO trabalho. Um mestrado consumirá muitas horas do seu dia, por alguns anos.
  • Se você não tiver personalidade, você tem uma chance muito grande de ser empurrado para uma linha de pesquisa que não é do seu agrado. A consequência disso? Você não terá vontade de trabalhar na sua pesquisa, e ela não ficará boa como deveria.

Pós graduações latu sensu (aquelas mais conhecidas do mercado) também tem vantagens:

  • Como é fácil abrir uma pós no Brasil, e elas são geralmente dados por faculdades particulares, raramente é um doutor é quem dá a aula. É comum que seja alguém com bastante experiência de mercado. Então você vai ouvir de alguém que já sofreu bastante na prática.
  • Seus colegas de classe podem ser futuros contatos profissionais, pois provavelmente todos eles já são formados (não são estagiários mais) e estão em empresas grandes/legais/ruins/chatas.

Desvantagens:

  • Você (provavelmente) não vai ter a chance de inovar.
  • O TCC pode ser a chance de fazer algo legal, mas você tem que procurar pelo professor certo. Muitos deles não sabem/tem interesse em orientar algo decente.

Portanto, fazer uma faculdade e/ou uma pós graduação tem lá suas vantagens e desvantagens. Mas o mais importante, sem dúvida alguma, é nunca deixar de estudar: seja por conta própria ou seja numa escola.